O Lado Escuro de Amsterdam

amsterdam

A prostituição legal e a maconha liberada são dois dos maiores atrativos de Amsterdam para qualquer turista. Não é nenhuma novidade encontrar milhares de turistas a passear pelo Red Light District para surpreender-se com as atitudes liberais holandesas, ou apenas para apreciar a atmosfera de excitação do lugar. Mas os sorrisos sedutores das garotas ali expostas contam apenas uma pequena parte da história.

Esta velha profissão, alguns dizem que a mais antiga do mundo, foi legalizada na Holanda séculos atrás, e tem um lado mais escuro também. Mesmo quando a situação em Amsterdam é, geralmente, muito melhor do que no resto do mundo, a prostituição em Amsterdam continua a ser uma coisa fria e cínica.

Para começar, a maioria das meninas envolvidas na prostituição vem de países mais pobres. Na década passada, a maioria das mulheres vinha da América do Sul, enquanto nos dias de hoje, o Red Light District é dominado por meninas da Europa de Leste. Não são muitas as holandesas que escolhem esta carreira, uma vez que, claramente, podem ter melhores opções.

A maioria das mulheres por ali tem entre 18 e 30 anos, já que há pouca procura de mulheres mais velhas. Quando sua carreira chega ao fim, muitas vezes essas mulheres encontram-se em um beco sem saída. O dinheiro fácil acaba cedo e no fim da carreira elas já não têm nada para ganhar o pão e muitas vezes se encontram sem dinheiro, sem educação e sem futuro. Aí é que mora o problema para essas mulheres que são um dos maiores pontos turísticos de Amsterdam.

A verdade é que essas meninas que trabalham ali têm a chance de ser seus próprios patrões e ganhar para si próprias, muitas vezes livre dos cafetões que são a característica dominante da prostituição em muitas outras partes do mundo. No entanto, os cafetões não estão sempre ausentes em Amsterdam. O estatuto legal da prostituição pode ser feito para criar uma demanda que algumas pessoas vão procurar para preencher, independentemente das consequências morais. Legal ou não, ao que parece, onde você tem a prostituição, o crime organizado sempre está por trás.

Nos últimos anos, vários proprietários de cadeias de bordéis e teatros de sexo foram ameaçados pelo governo com a perda de suas licenças, pois eram suspeitos de ter ligações com máfias e crime organizado. Muitos criminosos usam o distrito da luz vermelha para a lavagem de dinheiro em larga escala – há muito dinheiro por aí, e como não emitem recibos, é muito fácil enganar o governo e não pagar impostos.

Além dos perigos do crime organizado, a prostituição em Amsterdam pode ser uma profissão perigosa devido aos clientes problemáticos. Há histórias de prostitutas mortas durante o horário de trabalho e também pela máfia que domina o lugar. A maioria das salas de trabalho tem a presença de um segurança, e as meninas podem apertar “botões de pânico” quando desconfiam de alguma situação diferente. A polícia está sempre presente e os funcionários fazem de tudo para evitar a violência. Mas em um ambiente como este, há sempre a chance de que o pior vai acontecer.

Rafael Duran

Comments are closed.