O lago Titicaca pelo lado boliviano

25/07/2016

Coisas para Fazer

Titicaca_sandeepachetan

imagem cortesia de sandeepachetan via Flickr

Boa comida, paisagens inspiradoras e ótimos preços: não é por acaso que a Bolívia se tornou o destino quente de mochileiros de todo o mundo. Mas você não precisa ser entusiasta de hostels baratos ou viagens de ônibus por estradas estreitas para aproveitar os espetáculos do país.

A Bolívia é uma terra de cenários como o Salar de Uyuni, as ruínas de Tiahuanaco ou as curvas fechadas da Estrada da Morte. E é a partir de La Paz, a capital mais alta do mundo, que se chega a uma das maiores atrações turísticas da Bolívia: o lago Titicaca e suas ilhas.

O Titicaca (ou Titiqaqa, na língua quéchua dos índios andinos) fica na divisa do Peru com a Bolívia, é o maior lago da América do Sul e o maior lago navegável do mundo. Fica no Altiplano dos Andes, uma região onde a altitude média é 3.000 metros acima do nível do mar, e tem mais de 40 ilhas. Quem faz a viagem ao Titicaca pelo lado boliviano, a partir de La Paz, pode embarcar em roteiros de um dia até a aldeia Aimará, onde povos indígenas usam juncos na construção de barcos e cestos tradicionais, e pegar a balsa para Copacabana, a maior (e mais turística) cidade boliviana a beira do Titicaca, onde a Basílica da Virgem e a Igreja de Nossa Senhora da Candelária são pontos de peregrinação.

Titicaca_TigerT

imagem cortesia de TigerT via Flickr

Quem tiver mais tempo, pode encarar roteiros mais longos, como a viagem de dois dias até a Ilha do Sol, a maior ilha do Titicaca, considerada local sagrado. A ilha é dividida em três partes: Yumani, Challa e Challapampa. Yumani é a mais visitada, com suas escadarias incas de rocha que levam ao topo, permitindo vistas espetaculares dos picos andinos nevados. Bem perto, a apenas oito quilômetros de distancia, a Ilha da Lua, conhecida como Quati, tem como principal atração o palácio das virgens do Rei do Sol.

A atmosfera singular do Titicaca boliviano é uma aula de história e cultura indígena, com ruínas ainda não totalmente exploradas em cenários espetaculares. Imperdível para quem quer conhecer melhor a América do Sul.

– Gaía Passarelli

 

 

 

, , ,

Comments are closed.