O que é imperdível no Ver-O-Peso em Belém

Belem_CelsoAbreu

imagem cortesia de CelsoAbreu via Flickr

“Cacofonia de aromas e cores” é um daqueles clichês que de vez em quando a gente encontra em  textos de viagem. Mas esse clichê cabe muito bem para descrever o famoso mercado Ver-O-Peso, em Belém do Pará.

Lugar essencial na lista do que visitar no Brasil, esse é um lugar de comércio de peixes, carnes, porcelana, frutas, ervas, tecidos, poções mágicas, sementes, grãos, animais vivos, frutas, embutidos, peças de barco e tudo o mais que as populações ribeirinhas produzem e consomem.

Belem_ClaudioCareca

imagem cortesia de ClaudioCareca via Flickr

O Ver-o-Peso fica na Cidade Velha, nas margens da baía do Guajará e é o principal posto de abastecimento do norte do Brasil, além de ser um dos mais antigos mercados públicos do país – foi inaugurado em 1901! Visitar o Ver-O-Peso é experiência para um dia inteiro, apesar que só quem o visita algumas vezes pode dizer que realmente o conhece, porque em seus 35 mil metros quadrados (é a maior feira livre da América Latina!) estão a Feira do Açaí, o Mercado da Carne, o Mercado de Ferro (que era o nome original do complexo), as docas e as praças do Relógio e do Pescador, entre outras coisas.

O nome curioso vem mesmo do ato de pesar. A área começou a ser usada por portugueses no século 17, que instalaram um posto de fiscalização e cobrança de tributos que entravam na capitania de Belém. Como era ali que se pesava o que entrava na cidade, o posto ficou conhecido como Casa de Haver o Peso e funcionou até o começo do século 19, quando a estação de pesagem foi extinta e o local começou a ser usado como mercado de peixe. A imponente construção que abriga o mercado hoje é tombada como patrimônio histórico e é herança do Ciclo da Borracha, quando Belém era um importante centro do comércio entre as Américas e a Europa.

Belem_RicardoTulioGandelman

imagem cortesia de RicardoTulioGandelman via Flickr

Hoje, o mercado é um importante ponto turístico brasileiro e parada obrigatória para quem visita Belém. Quem quiser circular pelo mercado com calma, pode fazer a visita de madrugada: esse é o horário em que chefs de cozinha chegam para pegar peixes e camarões dos barcos de pesca.

Dicas para sua visita: vá de táxi, leve dinheiro e tenha em mente o que vai querer levar para casa. No meio de tantos cheiros, cores, sabores e novidades é fácil acabar comprando muito mais do que planejava. O que é imperdível: águas de cheiro, peixe seco e castanhas, muitas castanhas. Comer o açaí no mercado também é essencial (e uma experiência bem diferente pra quem é do sudeste e está acostumado ao açaí congelado dos supermercados).

 – Gaía Passarelli

, , ,

Comments are closed.